Racum Tecnologia

Conclusões da PodPesquisa, Parte 2: Comportamento

Esse artigo faz parte de uma série que estuda os resultados anunciados pela PodPesquisa, uma pesquisa realizada pela ABPod.

No primeiro artigo da série (“Parte 1: Demografia”) discutimos as questões que tratam de dados demográficos dos assinantes, continue agora analisando os dados da pesquisa referentes ao comportamento deles: como eles acessam, quanto, porquanto tempo, quantos podcasts, etc.

Comportamento

Audiência vs Assinaturas (Q-3, Q-4): Essa era uma das maiores dúvidas dos podcasters: saber quantas pessoas que assinam um podcast realmente ouvem seu conteúdo. A resposta depende de quantos podcasts cada pessoa assina: o número de corte são 10 Podcasts, se alguém assina mais que isso tente a não ouvir todos com freqüência. Por outro lado a grande maioria parece ouvir mais que assinar: como ouvindo direto do browser ou tocando no iTunes sem assinar, aliás, existe até uma categoria de pessoas que só ouvem Podcasts assim, mas não chegam a ser maioria (16,5%).

Onde e Quando (Q-6, Q-8): Essas duas questões permitiam mais de uma resposta, e em ambas tivemos uma média de 2 resposta por pessoa, o que sugere que que em média os assinantes ouvem os podcasts em mais de um lugar e em horários diferentes. Quanto ao lugares os fixos (como casa, trabalho, escola, academia, etc) têm uma ligeira maioria em relação aos móveis (trânsito, caminhada, etc).

A distribuição por período do dia é equilibrada:

Freqüência de Verificação (Q-5): Essa pergunta abre margem para interpretação: o assinante pode automatizar seu agregador para monitorar por ele ou, no caso dele não assinar, ele pode ir com freqüência no site para ouvir o arquivo direto. Apesar dessa dupla interpretação já dá pra observar um comportamento padrão com base nos dados: 87,2% não se atrasariam ao ouvir um programa semanal.

Meio Usado (Q-9): Essa era outra pergunta que permitia mais de uma resposta, mas a taxa de repostas por pessoa foi bem mais baixa: 1,4; o que mostra que a maioria dos assinantes escolhe um meio de assinar e geralmente se mantém fiel a ele. A maioria usa algum programa agregador de RSS, seja específico de Podcast ou não; entre esse programas o iTunes sozinho atende por 51,8% das respostas.

Player Usado (Q-7): Mais uma pergunta acumulativa, mas dessa vez a taxa de resposta foi alta: 1,7. O computador está firme na liderança, sendo usado por 63,8% dos assinantes (não exclusivamente). A diversidade dos players me surpreendeu, a taxa de uso de dispositivos móveis é maior que em pesquisas similares nos Estados Unidos. O resultado da pesquisa não especifica quanto dos players foram respondidos juntos, mas é lógico afirmar desconsiderando o computador que o efeito acumulativo entre os players portáteis é menor.

Horas por Semana (Q-10): Os resultado mostra as horas segmentadas por faixas, não temos uma média precisa mas tem valores suficientes pra uma estimativa: 3h. Esse tempo mostra que a maioria ouve ou assina mais de um Podcast, ou episódio, por semana. Isso também mostra que os assinantes são fiéis à mídia, e procuram por mais Podcasts com temas que se identifiquem.

Nacional/Internacional (Q-11): A média de proporção dos Podcasts nacionais foi impressionante: 81,7%. A maioria dos usuários (55,1%) inclusive nem sequer assina Podcasts não-nacionais, mesmo com a quantidade muito superior de opções internacionais. Com certeza a língua é uma barreira, mas não é só isso que impulsiona os nacionais: a melhoria do conteúdo dos Podcasts brasileiros tem participação fundamental nesse resultado.

Comentários (Q-14): 70,2% dos assinantes (64,2% do total) responderam que comentam os Podcasts, a pesquisa não perguntou qual o meio de interação, mas entre os mais comuns estão o email e os comentários em blog. Essa taxa é muito alta, talvez reflexo do fato de um assinantes disposto a comentar também estaria disposto a preencher a PodPesquisa. O resultado mais interessantes são os motivos: a maioria deu respostas que podem ser classificadas como simples falta de hábito.

Produtores (Q-18): Reforçando a idéia de conteúdo gerado pelo usuário, uma parcela significativa (17,0%) disse também produzir Podcasts.

Isso conclui o estudo de comportamento dos resultados da PodPesquisa, continue acompanhando os artigos dessa série para análises de outros tópicos extraídos dos resultados.

UPDATE: Já está no ar a “Parte 3: Preferências“.


Creative Commons License
   Este Artigo está licenciado sob Licença Creative Commons Atribuição 3.0.

Tags: ,

4 Comentários para “Conclusões da PodPesquisa, Parte 2: Comportamento”

  1. Em 20/06/2008 18:35, Achados na web #8 » Ladybug Brasil - Sobrevôos, descobertas, achados. escreveu:

    [...] no ar duas partes da pesquisa sobre PodCasts. Demografia e Comportamento. [...]

  2. Em 20/06/2008 18:35, Marcelo Costa de Oliveira escreveu:

    Olá Racum,

    Em primeiro lugar, meus parabéns pelos artigos que vem escrevendo. Gostei bastante dos artigos sobre “mid tail”.

    Bom, sobre este artigo, acho que tanto a pesquisa da ABPod idealizada por meu xará^2 quanto sua análise poderiam enfatizar um pouco mais a questão do “place and time shifting”, ou seja, a *dinâmica* do onde e quando.

    Acho, por exemplo, que a análise “fixo x móvel” poderia ser enriquecida com uma pequena adaptação: “no mesmo local x em outro local”. Eu, por exemplo, costumo escutar podcasts na academia (que você considerou um lugar fixo), mas escuto usando meu iPod (que é um dispositivo móvel) que foi sincronizado com o iTunes do meu computador fixo em casa que baixou automaticamente os episódios dos podcasts que assino. É mais ou menos isto o que chamam de “place shifting”.

    O mesmo comentário vale para o tempo (o quando). Muitas vezes, escuto o episódio alguns dias ou até semanas após a sua publicação e conseqüente sincronismo automático com meu iPod/iTunes. É mais ou menos isto que chamam de “time shifting”.

    Sem querer causar qualquer polêmica sobre nomes e definições, acho que, se esta dinâmica do onde e quando não estiver presente, não estamos falando de Podcasting. Aqueles que só ouvem direto no site sem assinar o feed do podcast não estão fazendo uso das principais características do Podcasting.

    [s] Marcelo

  3. Em 20/06/2008 18:35, racum escreveu:

    Olá Marcelo

    Sim, eu concordo com o “time shifting”, infelizmente não tinha essa questão na pesquisa, quando a ABPod organizar a próxima edição eu vou indicar essa questão.

    Quanto ao “place shifting”, eu considerei academia e escola como fixo porque cria uma rotina de ouvir em um mesmo lugar, e mesmo que alguém continue ouvindo no caminho da academia pra casa ele poderia dar mais de uma resposta. Para evitar essa abertura à interpretação eu acho que essa questão deveria ser simplificada na próxima edição da pesquisa.

    Eu usei as métricas mais lógicas possíveis nessa compilação, mas se mesmo assim surgir qualquer crítica, elas serão levadas em conta e se forem válidas eu encaminharei à ABPod, tenho total interesse na precisão, divulgação e confiabilidade dessas pesquisas.

    []‘s
    Racum

  4. Em 20/06/2008 18:35, Blog do Podpods » Blog Archive » Saiu o resultado da PodPesquisa escreveu:

    [...] da PodPesquisa, Parte 1: Demografia Conclusões da PodPesquisa, Parte 2: Comportamento Conclusões da PodPesquisa, Parte 3: Preferências Conclusões da PodPesquisa, Parte 4: [...]