Racum Tecnologia

Detonando 10 Mitos sobre Podcast

A maioria dos leitores desse site está ciente sobre a comunidade e os detalhes técnicos dos podcasts, muitos até já produzem seus próprios shows. Mas os demais usuários de internet em geral demoram para vencer a resistência para assinar um podcast. Existem muitos mitos envolvidos, e conseguir esclarecer isso para uma possível audiência é algo bastante benéfico.

A lista a seguir enumera os 10 maiores mitos que passam pela mente dos internautas menos iniciados:

  1. Requer um iPod: Seja por influência do nome ou de alguma outra idéia mal-concebida, muitos associam “podcast” como algo exclusivo de iPod. Na verdade não apenas o iPod não é obrigatório como qualquer computador ligado à Internet é capaz de reproduzir o conteúdo de um podcast. O uso de iPods ou outros MP3-players apenas confere mobilidade ao consumo da mídia.
  2. Requer banda larga: Com banda larga é muito melhor, mas sem banda larga não é proibitivo. Muitos podcasts possuem opção de áudio em baixa qualidade, com arquivos menores, as vezes com apenas 20MB contento mais de uma hora de show. Além disso, caso você assine via um agregador não vai precisar ouvir enquanto o arquivo está sendo baixado, como acontece com o YouTube por exemplo. Eu mesmo já morei em um lugar onde não havia banda-larga, e nem por isso deixei de assinar meus podcasts favoritos.
  3. Só existem podcasts amadores: Muitos podcasters já aprenderam as técnicas para melhorar a qualidade dos seus programas, e alguns até compartilham esses conhecimentos em listas ou fóruns de podcasters. A qualidade geral técnica e de conteúdo dos podcasts brasileiros está melhorando progressivamente.
  4. Existem poucos podcasts em português: Isso já foi verdade, mas hoje a quantidade de conteúdo em português explodiu, seja aqui no Brasil ou nos demais países de língua portuguesa. A variedade é tanta que cerca de 81,7% dos podcasts ouvidos hoje no Brasil são no nosso idioma (segundo a PodPesquisa).
  5. Nenhuma empresa apóia: Esse é um mito de ponto de vista: a maioria das empresas de Mídia tradicionais ignora a existência dos podcasts, talvez por se sentirem a ameaçadas ou por pura ignorância. Apesar disso muitas empresas estão não só distribuindo conteúdo como contribuindo ativamente com esse modelo. As empresas de tecnologia são as que mais apóiam: a Apple em 2005 integrou podcast ao iTunes e iPod, e a Microsoft deixou o Zune compatível com todos os formatos populares de arquivo a partir do update de firmware 2.0.
  6. É coisa de Nerd: O universo Nerd/Geek é ricamente explorado em podcast, e eu como um adepto convicto gosto muito disso. Mas não é disso que os podcasts tratam: hoje os mais diversos assuntos são abordados, não penas cinema, games e temas técnicos. E até mesmo os podcasts Nerds não devem ser alvo de preconceito, a maioria é muito bem produzida e o assunto pode interessar uma variedade grande de pessoas.
  7. Não promove inclusão social/digital: Não só entretenimento e notícias estão disponíveis, muitos cursos podem ser encontrados no formato de podcast, desde discas de informática até cursos de idiomas. Os podcasts acadêmicos são muito populares nos países de língua inglesa, e estão aos poucos também chegando ao Brasil.
  8. Requer programas específicos: Assinar um podcast é muito melhor via algum agregador de mídia, como o iTunes, mas na maioria das vezes nem isso é necessário: muitos podcasts dão a opção de escutar os episódios diretamente online, o que é muito útil quando se está no computador do trabalho, de outra pessoa ou em uma Lan-House.
  9. As músicas são ilegais: Desde Maio desse ano os podcasters brasileiros contam com a parceria entre a ABPod (Associação Brasileira de Podcasters) e o ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), que garante a legalidade de reprodução de músicas sob Copyright com o pagamento de uma taxa mensal básica. A maioria dos podcasts mais importantes já está devidamente em dia com suas obrigações legais, e tanto eles quanto sua audiência estão agindo totalmente dentro da lei. Update: Vários podcasts usam músicas em Creative Commons, com licenças mais permissivas.
  10. Está morrendo: Acredito que esse seja o maior de todos os mitos, o que morreu foi o “hype” do termo. Hoje o formato está maduro, não só com os produtores independentes como também com apoio de grandes grupos. Quem acessa listas, fóruns e diretórios de podcasts percebe um aumento significativo de programas. A própria audiência está ficando maior, graças a divulgação pelos assinantes já existentes e a ações como o Prêmio iBest.

Provavelmente existam mais mitos, mas esses são os principais que eu ouço ao apresentar podcast à novas pessoas, e todos os que divulgam podcasts deveriam estar com as respostas na ponta da língua. Informar precisamente a nova audiência é fundamental para o crescimento da comunidade podcasts.


Creative Commons License
   Este Artigo está licenciado sob Licença Creative Commons Atribuição 3.0.

Tags: ,

6 Comentários para “Detonando 10 Mitos sobre Podcast”

  1. Em 21/07/2008 15:45, Billy escreveu:

    Racum,
    Mto bacana. Divulgando incessantemente.
    Abraços.

  2. Em 21/07/2008 15:45, ictioscopio escreveu:

    Oi!
    Para o ponto 9: também existem as músicas com licenças abertas, muitas delas bem legais, sem precisar de pagar taxas.

    Saudo!

  3. Em 21/07/2008 15:45, racum escreveu:

    Valeu @ictioscopio!! Eu tinha anotado isso no rascunho do artigo mas acabei esquecendo de citar.

  4. Em 21/07/2008 15:45, Filecast escreveu:

    .
    .
    Muito bom esse artigo…
    .
    .

  5. Em 21/07/2008 15:45, Everson escreveu:

    Muito obrigado por citar a teiaCast como diretório de podCasts. Só com o apoio e colaboração de todos é que poderemos organizar todos os podCasters do Brasil e por que não mais alguns?

  6. Em 21/07/2008 15:45, Dado Moura escreveu:

    Parabens pelo post. A maneira apresentada faz com que os mais comuns dos internautas nao tenham medo de clicar num icone para ouvir.